Cultura de prevenção

Mas se não é cultura de prevenção, qual é?

FIre Fighters Apresento a você a “cultura de reação“. A imagem mais próxima disto pode ser a de bombeiros em uma missão. Apagando fogo.

Quando seu time está nesta situação, você pode até ficar feliz com a atuação de todos, em como são experientes para apagar incêndios, mas e como medir o estrago que poderia ter sido evitado? Que práticas poderiam existir, que padrões poderiam ser definidos pela equipe, para evitar que algo possa não ocorrer?

A frase que ouço muito no trabalho com equipes é a “não tenho tempo, tô apagando uns incêndios aqui“. E nunca as pessoas arrumam tempo para melhorar, porque afinal de contas elas estão lá resolvendo problemas que apareceram. E que são urgentes e “pra ontem“.

Chegamos em um ponto onde as pessoas já se acostumaram com isto. As organizações também. Ao invés de criar iniciativas para as pessoas refletirem e trabalharem as situações que estão justamente impedindo elas de ter excelência no que fazem, as empresas criam células independentes com pessoas que não vivem os problemas e trazem soluções… normalmente para problemas que não existiam. Mais controles e mais medições.

Então de um lado temos pessoas que vivem os problemas diariamente, mas que não podem resolver já que estão sempre no incêndio. De outro pessoas que estão lá para resolver problemas, mas não conseguem conhecer de perto o que ocorre, porque não conseguem ter detalhes, já que enfim, estão todos apagando incêndios. E aí as pessoas nem pensam mais em melhorar, porque afinal elas são pagas para fazer o trabalho delas. E agora, a empresa ainda tem uma equipe para resolver problemas. 🙂

debriefing Importante citar que os bombeiros possuem uma prática de revisar a operação realizada, para aprimorar e buscar melhoria contínua. Então… os times precisam criar um momento para refletir depois que apagam incêndios.

E no que a cultura de prevenção pode ajudar?

Uma cultura de prevenção busca entender e deixar claro que sim, problemas vão acontecer, e vão acontecer sempre. Só que a atitude de toda a organização vai ser diferente.

As pessoas falam que querem desafios. Bom, problemas são desafios que você normalmente escolheria não ter. Já que não podemos eliminar eles em 100% do nosso dia a dia, pelas inúmeras dependências que temos nas atividades que realizamos, então podemos trabalhar diferente, com prevenção. E aprendizado constante.

Uma cultura de prevenção está diretamente ligada a uma cultura de aprendizado. Como criar este ambiente?

Estudar sobre o pensamento lean pode ser algo bem interessante, e o que vejo como meu principal interesse, é na criação de uma cultura de prevenção. De envolver e fazer todas as pessoas da equipe estarem focadas e comprometidas em fazer seu trabalho com excelência, em busca da perfeição (mesmo sabendo que não iremos alcançar nunca), criando momentos para que a melhoria contínua ocorra, e sabendo que quando a equipe trabalha junto, tem mais chance de sucesso. Pela cooperação e transparência que queremos criar.

E o que é esse Lean? Começando pela própria definição do “pensamento lean”. Uma pode ser a seguinte:

Processo de eliminação sistemática de desperdícios através de melhoria contínua, sempre na visão de clientes.

E ainda pensando no que é valorizado, coloco o que é diferencial para mim:

  1. Visão de longo prazo. Fazer a mudança ser persistida e consistente.
  2. Fazer tudo com qualidade. Este item não é opcional. A conta vem muito mais cara se deixarmos para depois. O famoso débito técnico.
  3. Melhorar continuamente. E colaborativamente.
  4. Buscar controles visuais. Transparência. Realidade. E controles que fazem sentido para o time. Para ajudar a guiar no dia a dia.
  5. Crescimento das pessoas. Crescer e desenvolver líderes. Fazer as pessoas trabalharem naquilo que pode ser identificado como uma causa dela.
  6. Amplificar o aprendizado. Na verdade, a busca por ser uma organização em eterno aprendizado. Isto vai ajudar a validar o que se faz e a criar novas formas de se fazer o que se faz.

Para fechar este post, deixo uma apresentação minha sobre Cultura de Prevenção, que complementa o que falei, fora fazer referência a alguns livros legais, como o livro Toyota Way, de Jeffrey Liker.

Anúncios

Sobre dwildt

Empreendedor / Desenvolvedor de Software / Agilista / Escritor -- Me siga no twitter @dwildt
Esse post foi publicado em Posts e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Cultura de prevenção

  1. Pingback: Eventos para os próximos finais de semana! 20 e 27 de abril! | forming, storming, norming and performing

  2. Pingback: Cultura de aprendizado e formação de equipes de alto desempenho — GU Day SUCESU-RS 2013 | forming, storming, norming and performing

Deixe sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s